Entre e encontre um livro. Ou deixe que ele o encontre a si

 

 

Para cada livro há um leitor e para cada leitor há sempre um livro. É um dos princípios base da livraria Ror de Livros e quem já a conhece percebe o verdadeiro significado da frase. Aqui, a proposta passa por encontrar aquele livro que já não encontra em lado nenhum. Ou então, pura e simplesmente, deixe que seja o livro a encontrá-lo a si. Qualidade própria de um espaço que se dedica a vender livros usados (e não só: também vende livros novos mas que já não estão sujeitos a preço fixo).

 

A funcionar desde Setembro do ano passado, na Rua Senhor dos Aflitos, no centro de Aveiro, a Ror de Livros acaba por resultar da ligação e gosto pessoal que Jorge Pires Ferreira foi nutrindo pelos livros. Jornalista do Correio do Vouga, também tem estado ligado, por força da sua ligação profissional à Diocese de Aveiro, à livraria Santa Joana. Foi por força dessa experiência, em especial quando ia para a Feira do Livro de Aveiro, que percebeu que “apareciam pessoas a querer vender livros usados”, conta.

 

Entre esses potenciais vendedores, houve um que acabou por se revelar mais insistente. “Fui à casa desse senhor, propus um euro por livro e ele aceitou. Logo nesse dia, comprei uns 400 livros”, relata Jorge Pires Ferreira. Daí até começar a comprar mais obras e coleções em leilões foi um salto. Contas feitas, e somando os livros que já tinha antes desta aventura a comprar livros em segunda mão, já contava com “perto de 6.000 livros”.

 

A opção por abrir uma loja de livros em segunda mão surgiria, assim, de forma natural. Tanto mais porque não havia nenhuma na cidade de Aveiro. O primeiro teste, em jeito de ante-estreia, aconteceu durante a Feira do Livro de 2018, com sinais positivos quanto à recetividade do público. E nem outra coisa seria de esperar, uma vez que a Ror de Livros tem inúmeros títulos à venda a preços bem reduzidos.

 

Há livros a 50 cêntimos, a 1 euro, a 5 euros, até um máximo, por norma, de 20 euros. “O preço médio é de 4,8 euros e as obras individuais e relativamente raras não ultrapassam o preço de 15 a 20 euros”, garante o livreiro aveirense. Por “relativamente raras” entenda-se algumas “primeiras edições”, de que é exemplo “A Tempestade”, de Ferreira de Castro, que está ali à venda por 20 euros. Pelas estantes da Ror de Livros vão passando várias relíquias, sendo que algumas não levam muito tempo até encontrar um novo proprietário.

 

 

 

De onde vêm as obras em segunda mão à venda na Ror de Livros? São vendidas maioritariamente por particulares, motivados por divórcios, separações ou heranças. Já os livros novos são originários de fins de stock, bem como de estabelecimentos comerciais ou empresas que acabaram por fechar.

 

A casa também aceita trocas. “Nunca é um por um. Fazemos isto com toda a transparência: avaliamos os livros que as pessoas trazem e depois elas escolhem se querem levar esse valor em livros nossos ou se levam parte em dinheiro e parte em livros”, explica Jorge Pires Ferreira. Para quem desejar, há opção de ali deixar “livros à consignação”.

 

Ainda que seja uma casa dedicada a vender livros usados, à Ror de Livros não páram de chegar “novidades”. Não os últimos lançamentos literários, uma vez que “esses estão noutras livrarias da cidade” – “e nós temos todo o gosto em orientar os clientes para essas lojas, uma vez que há um bom relacionamento”, assegura Jorge Pires Ferreira. Mas a verdade é que estão sempre a chegar obras e a casa opta por colocar os “últimos a chegar à livraria” em destaque, numa estante.

 

E por falar em protagonismo: todos os dias, a casa elege o “livro do dia”. “Normalmente, está relacionado com o próprio dia, que pode ser o do nascimento ou morte de um autor, bem como qualquer outra efeméride”, explica o livreiro. Essa “nomeação” é sempre apresentada na página de Facebook da Ror de Livros.

 

Partilhar
avatar
  Notificações  
Notificação de
Júlia Cruz
Visitante
Júlia Cruz

Uma excelente iniciativa!

AveiroMag
Admin
AveiroMag

Sem dúvida. Agradecemos o seu comentário! 🙂

Jorge Pires Ferreira
Visitante
Jorge Pires Ferreira

Bom trabalho, Maria José Santana. E muito sucesso no AveiroMag.