A missão deste movimento é nobre mas faltam pessoas para dar uma ajuda

 

 

Ao mesmo tempo que erradicam o desperdício de alimentos combatem a fome, ajudando quem mais precisa. São cidadãos comuns, movidos por um espírito 100% voluntário, e levam por diante a missão de uma organização que dá pelo nome de Re-food.

 

Em Aveiro, a organização tem vindo a apoiar um cerca de 60 pessoas, reaproveitando, em média, cerca de 3 toneladas de comida por mês. A operação é, aparentemente, simples: faz-se uma recolha de alimentos excedentes de restaurantes, cafés, supermercados e outros, distribuindo-os, depois, junto de quem mais necessita. Mas a verdade é que, por Aveiro, têm faltado pessoas para dar uma ajuda.

 

“Estamos com dificuldades em angariar voluntários e sem eles é muito difícil levar por diante esta nossa missão”, aponta Elisa Mendes, uma das responsáveis pelo Re-food Aveiro.

 

Neste momento, o núcleo aveirense, a funcionar no bairro de Santiago, conta apenas com 25 voluntários. Faltam mais, especialmente “pessoas que tenham alguma disponibilidade entre as 9h00 e as 11h00 ou as 14h00 e as 15h30”, especifica aquela responsável.

 

“Não tem de ter ser todos os dias. Basta que tenha uma manhã ou uma hora de almoço livre. Quantos mais formos, menos pesa para a restante equipa”, realça, ainda, Elisa Mendes.

 

 

Fazer recolhas e também a distribuição

 

Da parte da manhã, o trabalho dos voluntários da Re-food passa por “deixarem embalagens nos restaurantes e cantinas e recolherem as que já têm comida”, especifica aquela responsável. As recolhas vão, depois, para o centro de operações onde, ao final da tarde, são preparadas as doses individuais a servir aos beneficiários. “Cada um vai buscar o seu saco”, revela.

 

E se os voluntários vão escasseando, a comida também começa a ser “resvés Campo de Ourique”, alerta Elisa Mendes. “Precisamos que mais restaurantes, supermercados, cafés e hotéis de Aveiro adiram a esta causa”, acrescenta.

 

Basta que entrem em contacto com a Re-food Aveiro para começarem a fazer parte desta missão nobre.

 

 

Em Aveiro há quase quatro anos

 

O movimento Re-food nasceu em Portugal, em março de 2011, pelas mãos de Hunter Halder, um americano radicado no nosso país.

 

A ideia surgiu num jantar com o filho, que lhe perguntou qual era o destino da comida que sobrava, ao que este respondeu que iria para o lixo. Hunter não esqueceu o assunto e de bicicleta começou a percorrer vários restaurantes de Lisboa, em busca das sobras diárias.

 

Estavam, assim, lançadas as sementes para a constituição de um movimento que viria a alastrar-se a várias cidades do país. Chegou a Aveiro em outubro de 2015.

Partilhar

3 Comments

  • Avatar
    Liliana Brandao
    16 de Março, 2019

    Contacto para podermos falar melhor por favor, obrigada

  • Avatar
    André Filipe Gomes Maximiano
    19 de Março, 2019

    Posso fazer parte do projecto?

Post a Comment