MARIA nasceu para ajudar na defesa do património da Ria de Aveiro

 

Paulo Ramalheira*

 

 

É sabido que a Ria de Aveiro é o mais completo e complexo ecossistema lagunar do nosso país e um dos mais importantes da Europa, onde há centenas de anos o homem convive com uma variedade imensa de espécies de fauna e flora.

 

A evolução natural deste ecossistema, a que se juntam as alterações climáticas mais significativamente visíveis desde o início deste século, traduz-se num enorme desafio para todos, tendo em vista a manutenção da realidade socioeconómica de todo este território.

 

Foi neste contexto, onde os desafios se colocam efetivamente a todos nós de uma forma urgente, que nasceu espontaneamente o MARIAMovimento de Amigos da Ria de Aveiro, com o objetivo final de ajudar à reflexão e à procura de soluções para os problemas que afetam o valiosíssimo património ambiental que são os onze mil hectares que definem o perímetro da Ria de Aveiro.

 

MARIA é um fórum cívico, plural, de reflexão, debate, troca de experiências, ação cooperativa e intervenção pública e no espaço público sobre todas as matérias que digam respeito ao ecossistema da Ria de Aveiro, considerando as ameaças naturais e os fenómenos de carácter ambiental, a intervenção humana, ou a sua falta, tendo em vista a manutenção de uma realidade socioeconómica tal como hoje a conhecemos e que se pretende preservar no futuro.

 

O Movimento emana diretamente da sociedade civil, é independente de quaisquer poderes políticos, económicos ou religiosos e resulta da agregação voluntária de pessoas, coletividades, associações e organizações disponíveis para participar, apoiar e facilitar a discussão e reflexão de todos os temas relacionados com a Ria de Aveiro.

 

Assim, o MARIAvisa a promoção e defesa do ecossistema integrado da Ria de Aveiro, enquanto realidade socioeconómica presente e com forte importância nos municípios de Albergaria-a-Velha, Aveiro, Estarreja, Ílhavo, Mira, Murtosa, Ovar e Vagos, numa lógica colaborativa, do bem-estar e desenvolvimento das diferentes comunidades e operadores, na defesa dos seus interesses e do seu inter-relacionamento.

 

Todos os membros do MARIA partilham o interesse pelo papel específico e insubstituível de agendas, estratégias, políticas e intervenções de defesa da Ria de Aveiro para aumentar as oportunidades de desenvolvimento das comunidades locais e grupos de interesses e garantir a prossecução do bem comum.

 

Pautando a sua ação pelos valores éticos, humanos e sociais consagrados na Carta da Economia Social, todos os membros do MARIA orientam a sua ação por um conjunto de valores subjacentes à Carta de Princípios do Movimento, onde estão consagradas as linhas programáticas que balizam a sua intervenção pública:

 

Desenvolvimento Sustentável – Qualquer processo de desenvolvimento deve ser entendido de forma multidimensional, envolvendo as componentes sociais, económicas, ambientais e culturais, e basear-se numa visão de longo prazo, levando em conta os interesses e as necessidades das gerações futuras;

 

Inovação Social – As inovações tecnológicas, organizacionais, económicas e outras apenas ganham verdadeiro sentido se baseadas em processos de inovação social adequados a contextos territoriais concretos, promotores de formas de cidadania ativa e benéficos para a generalidade dos membros das comunidades que aí vivem ou desenvolvem a sua atividade;

 

Empreendedorismo Responsável – O desenvolvimento deve ser concretizado a partir de uma atitude que seja reflexiva e empreendedora por parte de indivíduos e organizações e que se guie por uma ética de responsabilidade sócio-territorial;

 

Gestão de Intervenção – O desenvolvimento de ações de intervenção no perímetro da Ria de Aveiro exige uma forte capacitação cívica e institucional, a criação de inter-relações entre redes de atores relevantes e a adoção de métodos de intervenção eficientes, justos e baseadas em processos de decisão publicamente escrutináveis;

 

Justiça Territorial – O desenvolvimento de quaisquer ações no espaço consagrado à Ria de Aveiro não pode ficar sujeito a uma hierarquia nacional de prioridades de natureza territorial decidida centralmente e dependente de aceitações de natureza orçamental, pressupondo-se que qualquer intervenção que beneficie e melhore o ecossistema constitui em si mesmo uma prioridade inadiável;

 

Finalmente, uma nota apenas para sublinhar que o MARIA é um Movimento aberto à participação de todos, a título individual ou coletivo, e que o contacto pode ser feito, por agora, através do email movamigosria@gmail.com ou através da nossa conta na rede Facebook www.facebook.com/movamigosria

 

*Fundador do MARIA

Partilhar
avatar
  Notificações  
Notificação de