Associação MUBi alerta para “perigo rodoviário” na nova rotunda do ISCA

 

 

A MUBi – Associação pela Mobilidade Urbana em Bicicleta considera que o “perigo rodoviário está bem patente na nova rotunda do ISCA”, em Aveiro. “Em claro e continuado desprezo pelos utilizadores vulneráveis, a autarquia, com múltiplas soluções ao seu dispor para o efeito, optou por não implementar medidas físicas eficazes de redução de velocidade dos veículos motorizados”, acusa a seção de Aveiro da MUBi.

 

“Os manuais de projecto de infraestrutura ciclável indicam explicitamente que rotundas com mais do que uma via de circulação automóvel são perigosas para os utilizadores de bicicleta e que, onde os ciclistas têm prioridade nos atravessamentos (como acontece nas passagens para velocípedes da rotunda do ISCA), nunca devem existir saídas da rotunda com duas vias de trânsito”, é defendido pela associação.

 

Os dirigentes da MUBi acusam a autarquia de ter optado “por uma solução de ‘faz de conta’ para a protecção dos ciclistas, com pilaretes flexíveis”. “Menos de uma semana após a abertura da rotunda ao trânsito, vários deles foram já arrancados presumivelmente pela colisão de automóveis”, reparam.

 

“Um outro erro da infraestrutura prende-se com o facto de os ciclistas abordarem as passagens de atravessamento para velocípedes de costas para a proveniência do tráfego rodoviário, quando as boas práticas indicam que essa abordagem deve ser na perpendicular à direcção do fluxo de trânsito. A configuração implementada impede um campo de visão apropriado e dificulta a verificação atempada das condições de segurança, i.e. a cedência de passagem por parte dos veículos que saem da rotunda”, acrescentam.

 

Câmara fala em melhoria de condições de segurança

 

Para a câmara municipal de Aveiro, a construção desta nova rotunda constituiu “uma intervenção de qualificação da rede viária de enorme importância, com o objetivo de melhorar as condições de segurança para o peão, ciclistas e automobilistas, no antigo cruzamento semaforizado”.

 

A empreitada “foi executada pela empresa Urbiplantec – Urbanizações e Terraplanagens Lda, representando um investimento de aproximadamente 250.000 euros, constituindo-se também nesta zona como a plataforma de ligação da Via Ciclável que vai fazer a ligação entre o Campus da UA e a Estação da CP (nova empreitada cujo concurso público está a decorrer)”, destacou a autarquia aveirense, na passada semana, aquando da conclusão da empreitada.

Partilhar
avatar
  Notificações  
Notificação de