Herman José junta-se à Banda Vaguense e promete um espetáculo inesquecível

 

 

 

Já soma quatro décadas de carreira e continua a acusar uma energia contagiante em palco e na televisão. Será difícil encontrar alguém que consiga estar a vê-lo e a ouvi-lo sem soltar umas quantas gargalhadas. A ele ou ao Serafim Saudades. Ou ao Estebes. Herman José vai assumir as honras de abertura do cartaz das Festas de Vagos – espetáculo marcado para dia 8 de junho (22h30), no Anfiteatro Municipal – e não vai estar sozinho. O humorista e músico sobe ao palco acompanhado pela Banda Vaguense. As suas personagens mais míticas também vão lá estar, garante.

 

“Das coisas que mais me encantam é fazer espetáculos com bandas musicais ”, assegura o artista, sem deixar de reconhecer que a responsabilidade também é maior. “Perdem-se muitas horas de ensaios e é uma coisa séria”, aponta.

 

Com uma carreira tão longa, repleta de atuações por esse país fora, já não arrisca a dizer que esta será uma estreia ou uma repetição em Vagos. “Já estou como a Amália. Ela dizia: não me lembro, não me lembro, você é quem? E eu estou a ficar assim”, declara.

 

O importante, garante, “é o presente e o futuro” . E no que toca ao futuro quase imediato – mais concretamente o da noite de 8 de junho – Herman José perspetiva “um espetáculo que vai ficar na memória de quem o vir”. “E na minha também, porque eu fico comovido quando vejo jovens músicos a tocar tão bem”, afiança.

 

Em conversa com a Aveiro Mag, o humorista levantou um pouco a ponta do véu no que toca aos ingredientes chave do espetáculo que irá dar em Vagos. “Serão evocadas as minhas personagens mais importantes, como o Nelo ou o Estebes, e será, acima de tudo, uma hora e meia de pura alegria, que vale mais que 10 anos de psiquiatra”, atesta.

 

Um artista inquieto não se deixa envelhecer

 

Herman José gosta de soltar gargalhadas no público. Anda a fazê-lo há décadas, conquistando várias gerações. O segredo? “Inquietação”, repara. “Quando um artista é inquieto ele não se deixa envelhecer”, prossegue, dando os exemplos “do inquieto Quim Barreiros” e “do inquieto José Cid”. “O Quim Barreiros deve ter mais dinheiro do que os artistas todos juntos e, no entanto, lá vai ele no seu carro, a guiar 800 quilómetros para lá e para cá, para não deixar de fazer as suas festas”, exemplifica.

 

Será, assim, um Herman José inquieto aquele que se irá apresentar ao público da região no espetáculo de dia 8 de junho, que tem entrada livre e gratuita.

 

O cartaz das Festas de Vagos compreende, ainda, os concertos de Aurea (9 de junho, pelas 22h30) e dos Expensive Soul (10 de junho, 23h00). Do programa constam, também, outras atuações musicais, bem como a sessão solene de condecorações municipais e as celebrações religiosas.

 

 

 

 

 

 

Partilhar
avatar
  Notificações  
Notificação de