Ovar celebra a Língua Portuguesa num festival repleto de música e animação

 

 

Num só dia (13 de julho), o Parque Urbano de Ovar concentrará três continentes diferentes, representados através de artistas como Elza Soares, Aline Frazão, Julinho da Concertina ou Be–Dom. Serão 15 horas de espetáculos, de acesso gratuito, num espaço de natureza, naquela que é mais uma edição do FESTA, festival que visa celebrar a Língua Portuguesa.

 

A programação abre com espetáculos deambulantes pelo centro da cidade Ovar, criando um ambiente de animação e diversão por onde passam – animação de rua a cargo da Banda Filarmónica Ovarense, da Sociedade Musical Boa União e dos Tumbala. O início da tarde será dedicado aos mais novos com o workshop “Do lixo se faz música”, pelos be-dom, e ainda com oficinas de serigrafia e carimbos.

 

Às 15h30, os Tumbala voltam a animar a festa, deambulando desta vez pelo Parque Urbano e, pelas 16h00, um dos melhores espetáculos de percussão e humor da Europa apresenta-se no Palco Rio: os Be-Dom.

 

Um dos grandes momentos desta edição chega pelas 17 horas. A cantora e compositora angolana Aline Frazão apresenta o seu mais recente álbum “Dentro da Chuva”.

 

Projeto Ferver, um projeto português criado inicialmente para o Carnaval de Ovar 2019, com músicos portugueses e brasileiros, promete momentos únicos neste FESTA’19, onde a agitação e rebuliço tomam conta de cada pessoa presente e onde a dança não acaba.

 

A terminar a tarde, sobe ao palco o cabo verdiano Julinho da Concertina, considerado um grande virtuoso e tecnicista deste instrumento, que toca desde os 5 anos.

 

Brasil e África a fechar o programa

 

À noite, o FESTA leva-nos ao Brasil com a icónica Elza Soares, vencedora de vários prémios e galardões internacionais, como o Grammy latino em 2016, “Cantora do milénio” pela BBC em 2000, entre outros, na sua longa carreira de seis décadas.

 

De regresso a África e a Cabo-Verde, os Ferro Gaita trazem-nos uma explosão de funaná com ritmos vibrantes e contagiantes. A noite e o FESTA encerram com os Tropicáustica, um projeto de DJing que surge de uma pesquisa pela música e dança de origem sul-americana e africana.

 

Alexandre Rosas, vereador da Cultura da câmara municipal de Ovar, recorda que “depois do sucesso do ano passado, faz todo o sentido manter o modelo do FESTA, numa celebração da música e da língua portuguesa, que representa ainda uma homenagem aos sons e ritmos que ecoam pelos quatro cantos do mundo que fala português, e num espaço de plena fruição da natureza. A essência do FESTA, enquanto celebração da cidade e das pessoas, essa mantém-se desde a primeira edição, em 2014.”

 

 

 

Foto de capa: a cantora Aline Frazão

Partilhar
avatar
  Notificações  
Notificação de