Lembra-se do pirolito e dos quejios Laclé? Vai poder recordá-los em Estarreja

 

 

 

Mesmo que não pertença ao grupo etário das pessoas que o consumiram, certamente que já ouviu falar dele. O famoso pirolito, bebida gaseficada que era vendida numa garrafa muito característica, marcou toda uma geração. Tal como outros produtos que foram desaparecendo do mercado, mas que deixaram uma marca que o tempo não apaga. Fazem parte de uma memória coletiva.

 

Alguns destes produtos de outrora vão, agora, ser recordados em Estarreja, numa exposição que é inaugurada a 18 de janeiro e que vai estar patente até ao final do mês, no átrio dos Paços do Concelho. Uma mostra que junta “rótulos, folhetos, notícias de jornal, cartões de visita, calendários de bolso, tudo o que são papéis esquecidos e aparentemente sem valor, mas que podem mostrar parte do que a gastronomia local tem para oferecer e ajudar a contar a sua história”, enquadra o historiador Marco Pereira, curador da exposição.

 

Entre os artigos em exposição vão estar “embalagens da Nestlé com a marca Pensal (nome do lugar em Avanca onde a fábrica se instalou) e rótulos de queijo e manteiga da extinta Laclé, fábrica de lacticínios também de Avanca e já extinta”. “Há, igualmente, a famosa garrafa do pirolito (a gasosa que os mais velhos conheceram) e uma garrafa rotulada mais recente (décadas de 1940-1950) da laranjada ‘Santa Luzia’, de Veiros”, destaca o historiador.

 

“Outro exemplo é o café ‘Pinho’, com a embalagem de plástico em que era comercializado até ao fim dos anos 70, entretanto substituída pela marca ‘Flor de Beduído’”, acrescenta, a propósito dos artigos que farão parte da exposição “Rótulos de produtos alimentares de Estarreja”.

 

 

 

 

A inauguração desta exposição integra o programa do 1.º Capítulo da Confraria Gastronómica de Santo Amaro, de Estarreja. A coletividade está a completar o seu primeiro ano de atividade e evoca a velha feira de Santo Amaro –  fundada em 1662 e que teve durante séculos a maior parte dos “restaurantes” que sucessivas gerações de estarrejenses conheceram.

 

A cultura e a história a ela associada servem de mote para valorizar toda a gastronomia tradicional do concelho de Estarreja, assumindo como prato mais valioso a carne de vaca assada à moda de Santo Amaro, isto é, a carne assada que antigamente se comia na feira.

 

 

Partilhar
avatar
  Notificações  
Notificação de