Jovem formado no Beira-Mar assina pelo Benfica

 

 

É com um brilhozinho nos olhos que Paulo Martins lembra os primeiros tempos de Samuel Pedro, conhecido no mundo do futebol por Samu, com a camisola do Beira-Mar. Foi sob o seu comando técnico que o agora jogador do Benfica deu os primeiros chutos na bola no antigo campo de treinos, entretanto desaparecido, do Estádio Mário Duarte, em Aveiro. Tinha 6 anos. Os primeiros treinos mostraram logo um pequeno jogador acima da média. “A equipa da geração nascida em 2001 tinha muita qualidade e o Samu era quem mais se destacava e, sobretudo na hora de finalizar, fazia a diferença”, recorda.

 

Samu jogava como ponta de lança e foi, durante quatro épocas consecutivas, o melhor marcador da equipa de uma forma destacada. “Era muito rápido com a bola nos pés, tinha um bom jogo de cabeça e uma capacidade de finalização impressionante”, resume Paulo Martins que cedo se rendeu ao menino de sorriso tímido que rapidamente conquistou um lugar na equipa.

 

“Fora das quatro linhas, o Samuel era reservado mas quando a bola começava a rolar transformava-se. O campo de futebol é a praia dele”, sublinha o treinador que está há 10 anos consecutivos no corpo técnico da Academia de Futebol do Beira-Mar. Paulo Martins percebeu rapidamente que o Samuel tinha todos os ingredientes necessários para atingir o topo.

 

A vertente de treino ajudou-o a crescer e a perceber melhor o jogo. “Quando aparece nos primeiros treinos, o Samuel só queria pegar na bola e fazer golo. A evolução registada em termos táticos deu-lhe a componente que faltava”, destaca o treinador aveirense, realçando também o papel desempenhado pelos pais que sempre acompanharam de perto o percurso futebolístico do Samuel. “Teve convites de clubes de outra dimensão desde os 9 anos e os pais nunca cederam à pressão, mantendo sempre os pés bem assentes na terra”, regista.

 

De resto, Paulo Martins lamenta que o Samuel tenha saído tão cedo do Beira-Mar, mas, ao mesmo tempo, entende as razões ligadas ao período conturbado que o clube viveu em 2015. Na altura, o futebol chegou a estar em risco por causa das loucuras cometidas pela SAD aveirense liderada pelo italiano Omar Scarfuro e o Samuel optou por prosseguir a carreira no vizinho Gafanha onde esteve durante uma época. Seguiram-se o Braga e o Palmeiras antes de chegar ao Boavista onde esta época, ainda com idade de júnior, se estreou na equipa principal curiosamente frente ao seu novo clube.

 

Samuel Pedro assinou contrato válido por cinco épocas e meia com o Benfica e vai, para já, integrar os trabalhos da equipa de Sub23. “É importante integrar-se bem porque a qualidade está lá”, garante Paulo Martins que acredita que Samu pode chegar à equipa principal do Benfica e também à seleção nacional. “Correndo tudo normalmente vai acabar por acontecer”, prevê.

 

Nos 10 anos que leva como treinador, Paulo Martins já lidou com alguns jovens com grande potencial para atingirem o sucesso no mundo do futebol. “O Samuel está, seguramente, no topo desse lote dos melhores”, afirma.. Os encarnados pagaram 800 mil euros ao Boavista pela contratação, tendo o clube do Bessa assegurado 50 por cento dos direitos económicos do passe da jovem promessa aveirense.

 

 

 

Samu com a camisola do Beira-Mar

 

 

* Créditos da foto de capa: SL Benfica

 

Partilhar
avatar
  Notificações  
Notificação de