Setecentas tulipas prometem colorir o Cemitério de Ílhavo

 

 

 

 

Em março, quando a primavera chegar, o Cemitério de Ílhavo terá um campo colorido de tulipas de várias cores – amarelo, vermelho, rosa, violeta. A iniciativa partiu da Junta de Freguesia de São Salvador, entidade responsável pelo cemitério, que plantou 700 bolbos de tulipas no início deste ano.

 

As tulipas juntam-se agora às camélias, plantadas há quatros anos, e à Oliveira, colocada no centro do cemitério, com o objetivo de dar vida ao lugar que muitas pessoas visitam para venerar familiares e amigos.

 

“Pretendemos continuar a dignificar e a valorizar o Cemitério de Ílhavo, um espaço de toda a comunidade, onde cada um vive a saudade. Queremos que o cemitério seja um lugar bonito, porque a beleza da natureza também nos consola, e todos precisamos desse consolo quando visitamos este lugar para venerar aqueles que nos deixaram. Por isso, ainda este ano, foram colocados cinco canteiros com estrelícias, um novo cipreste e dezenas de agapantos, entre outras plantas para repovoamento”, revela João Campolargo, presidente da Junta de Freguesia de São Salvador.

 

Um cemitério único

 

O Cemitério de Ílhavo tem um equipamento, raro nos cemitérios em Portugal. Trata-se de um expositor (mupi), onde o visitante pode consultar um leque variado de informação, como a localização das sepulturas e jazigos e a bibliografia das personalidades ali sepultadas, como músicos, bispos, padres, autarcas e notáveis. Esta informação está disponível para o mundo no website www.freguesiassalvador.pt. Este projeto tem sido desenvolvido, atualizado e melhorado por uma equipa que inclui os colaboradores da Junta de Freguesia e voluntários.

 

Outro dos aspetos distintivos do Cemitério de Ílhavo é o edifício arquitetónico, construído ao longo de 2016 e 2017, que alberga quatro casas de banho – homens, mulheres e de acessibilidades, e um espaço, destinado ao coveiro e aos ajudantes que lhes permite descansar, tomar banho ou trocar de roupa. Este projeto arquitetónico, da autoria dos irmãos ilhavenses Sofia e Ricardo Senos, que se apresenta verde por fora e branco por dentro – apenas com clarabóias para aproveitar a luz natural e sem ventilação artificial -, tem atraído a atenção de arquitetos de todo o mundo.

Partilhar
avatar
  Notificações  
Notificação de