Requalificação da envolvente à Estação de Ovar dá prioridade ao peão

 

 

A empreitada de “Requalificação da envolvente à Estação e Jardim Almeida Garrett – Ovar” foi consignada na passada sexta-feira.  Trata-se de uma obra estruturante e fundamental para o desenvolvimento da cidade de Ovar, que se encontra inserida no Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) de Ovar e que representa um investimento de quase um milhão de euros.

 

Esta intervenção terá a duração de um ano e pretende beneficiar a área envolvente à Estação de Caminhos-de-ferro e ao Jardim Almeida Garrett, sob o ponto de vista do conforto e segurança na circulação rodoviária, ciclável e, sobretudo, pedonal, com alinhamento e alargamento dos percursos existentes, com a atribuição de caráter pedonal ao Largo Serpa Pinto (da Estação), criação de nova área e reorganização dos lugares de parqueamento automóvel e instalação de mobiliário urbano (marcos limitadores, floreiras, papeleiras, etc.).

 

A área a intervencionar engloba o principal eixo de entrada na cidade de Ovar, para quem utiliza os transportes públicos, nomeadamente o caminho-de-ferro. Atualmente, o espaço apresenta o mesmo desenho urbano que foi estabelecido há muitas décadas e foi adaptado, pontualmente, sempre concedendo primazia ao automóvel.

 

Neste sentido, esta obra visa tornar o peão o interveniente mais importante no espaço público, em detrimento do automóvel; ligar o espaço público da Estação ao Jardim Garrett, que já foi objeto de intervenção no âmbito do Programa PEDU; organizar e facilitar o estacionamento para quem utiliza os transportes coletivos; ligar a Rede Ciclável do Concelho à Estação de Ovar.

 

A extensão dos arruamentos em causa perfaz um total de um quilómetro, numa área de cerca de 1,50 hectares, englobando a zona nascente do centro da cidade, que intercala habitações, estabelecimentos comerciais e de serviços, destacando-se a Repartição das Finanças e a Estação de Caminhos-de-ferro.

Partilhar

Post a Comment