Joaquim Ruivo expõe cangas na COMUR

 

De 13 de setembro a 4 de outubro, a COMUR – Museu Municipal da Murtosa, vai receber uma exposição de cangas do artesão murtoseiro Joaquim Ruivo.

 

Chama-se Joaquim Tavares dos Santos, mas todos o conhecem por Joaquim Ruivo. Aprendeu bem cedo a arte de construir e decorar cangas, mas a vida levou-o por outros caminhos. Começou por embarcar na faina da pesca do bacalhau, trabalhou num posto de abastecimento de combustível e esteve emigrado no Luxemburgo, onde trabalhou numa carpintaria.

 

Acabaria por regressar à sua Murtosa natal para se dedicar à agricultura e a uma paixão antiga: a construção de cangas. Hoje, aos 76 anos, continua a exercer este ofício no Agro, freguesia do Bunheiro, onde reside.

 

 

A canga é uma peça de madeira que se coloca no cachaço dos animaispara que melhor se adaptem ao carro ou às alfaias agrícolas. Em terras marinhoas, as cangas assumem-se como autênticas obras de arte, apresentando motivos florais e iconografia variada, em baixo relevo, podendo ser pintadas ou não. Além disso, é comum serem ornamentadas com tufos alternados de pêlo branco ou negro de crinas ou rabos de cavalo. 

 

O momento de abertura desta mostra está marcado para dia 13 de setembro, às 16h00. A entrada é livre e sujeita ao cumprimento das orientações da Direção-Geral de Saúde, nomeadamente, no que concerne ao uso obrigatório de máscara de proteção, lotação máxima do espaço, distanciamento social e higienização das mãos. 

Partilhar

Post a Comment