AveiroMag AveiroMag

Magazine online generalista e de âmbito regional. A Aveiro Mag aposta em conteúdos relacionados com factos e figuras de Aveiro. Feita por, e para, aveirenses, esta é uma revista que está sempre atenta ao pulsar da região!

Aveiro Mag®

Faça parte deste projeto e anuncie aqui!

Pretendemos associar-nos a marcas que se revejam na nossa ambição e pretendam ser melhores, assim como nós. Anuncie connosco.

Como anunciar

Aveiro Mag®

Avenida Dr. Lourenço Peixinho, n.º 49, 1.º Direito, Fracção J.

3800-164 Aveiro

geral@aveiromag.pt
Aveiromag

Investigadora e nadadora da UA quer ver Aveiro capital da natação em águas livres

Atletas

É apaixonada por natação em águas abertas, que é como quem diz, ama nadar no mar. Vinda do Rio de Janeiro (Brasil), Maureen Valle chegou este ano à Universidade de Aveiro (UA) para fazer um pós-doutoramento na área do seu coração: a inovação desportiva. Depois de ter percebido que, apesar de Aveiro estar rodeada pelas águas da ria e do mar, a natação em águas abertas é inexistente na região, Maureen está a desenvolver um projeto para colocar os aveirenses a nadar na ria. 

“Fiquei surpreendida ao chegar a Aveiro e descobrir que ninguém nadava na ria, um lugar deslumbrante de tão bonito”, diz Maureen Valle, que cedo elegeu a laguna e também o mar junto à praia da Costa Nova e à Praia da Barra para ´não perder o ritmo das braçadas. De quando a quando, é boquiabertos que os locais a veêm sair da ria, depois dos treinos, como se fosse uma extraterrestre a sair de uma nave espacial. 

“Nadar no mar é um desporto solitário, mas que não se deve praticar sozinho. É uma experiência interior vivenciada em cardume”, explica. “Para muitos, o mar é para aventureiros, loucos ou afins. Para os praticantes, o mar é a comunhão com a natureza, bem estar, estilo de vida, equilíbrio mental e saúde”, descreve Maureen Valle, num artigo escrito para o jornal Globo onde escreve regularmante sobre o tema da inovação.

 Já tentou arranjar companhia para nadar, até porque pode ser perigoso ir para a água sozinha, mas sem sucesso. Até tentou criar um grupo no Facebook para cativar nadadores. Nada resultou! Literalmente! 

“O mar de São Jacinto é maravilhoso, mas não é para iniciantes. E a Praia da Barra, que apresenta correntes fortes em época de dragagem do canal, não facilita o acesso diário.  A Ria, logo aqui no Cais do Sal, é um paraíso. Oferece água fresquinha e silêncio. Nunca senti correntes e , como é rasa em várias partes – pelo menos nas zonas que conheço - dificilmente alguém se afogaria ali”, afirma a nadadora investigadora afeta ao Departamento de Economia, Gestão, Engenharia Industrial e Turismo (DEGEIT). 

Com o projeto de pós-doutoramento que tem em mãos, na área dos Desportos de Mar dentro da Economia Azul, Maureen Valle quer homenagear a ria, descobrindo se pode tornar-se num local para a prática da natação em águas abertas. 

Depois procurar dar resposta à forma como os desportos ligados ao mar estão inseridos na Economia Azul, a investigadora quer perceber se na literatura científica há evidências do impacto positivo da natação em águas abretas na saúde e na economia. Por fim, Maureen Valle quer, e através do exemplo de casos internacionais de sucesso, recomendar para Aveiro infraestruturas que possam tornar a cidade numa referência nacional e internacional para praticantes de natação em águas abertas.

Festa Publicidade

Deixa um comentário

O teu endereço de e-mail não será publicado. Todos os campos são de preenchimento obrigatório.