Aveiro: Festa da Arte Nova contempla viagens num balão de ar quente

 

 

De 10 a 13 de junho, a Câmara de Aveiro irá promover a Festa Arte Nova – cujo dia mundial se celebra a 10 de junho – com uma proposta inovadora: viagens diárias num balão de ar quente no Rossio. O Museu Arte Nova terá entradas gratuitas nos quatro dias.

 

Destinada ao público em geral, a Festa Arte Nova terá participação gratuita e pretende recordar que, no período de 1900, os balões de ar quente e os dirigíveis integravam o imaginário coletivo e eram alvo de notícia. Nesta edição da Festa Arte Nova propõe-se a experiência de uma viagem num balão de ar quente.

 

Assim, durante quatro dias, entre as 8h00 e as 11h00 e as 19h00 e as 22h00 (sujeito a condições atmosféricas favoráveis), serão proporcionados vários “Voos Cativos em Balão de Ar Quente”. A participação implica inscrição prévia e as viagens acontecerão por ordem de chegada.

 

Com sessões marcadas para as 10h00 e as 15h00, haverá visita guiadas e comentadas ao Roteiro Arte Nova de Aveiro. Trata-se de um percurso interpretativo para observar os edifícios ao gosto Arte Nova, abordando-se esta corrente artística e o seu desenvolvimento local.

 

Ainda nos quatro dias, pelas 11h30 e 16h30, realiza-se o atelier Infantil “Viajar no Papel”, uma atividade que puxa pela imaginação, recorrendo a colagens e tintas que se misturam, criativamente com réplicas de postais antigos relacionados com o tema das viagens e da descoberta do mundo. Nestas duas últimas ações, podem inscrever-se, por e-mail, até 10 participantes por sessão (museucidade@cm-aveiro.pt).

 

No dia 10 de junho haverá uma Happy Hour nos Museus de Aveiro, às 18h00, dedicada à Arte Nova: “Em privado. A Arte Nova e o interior doméstico”. Será difundida na página de Facebook dos Museus de Aveiro (facebook.com/Museudacidadedeaveiro).

 

Recorde-se que o Museu Arte Nova tem patente a exposição “Artesãos de Fogo” que apresenta uma das coleções mais importantes de vidro Arte Nova produzidas nos finais do século XIX e princípios do século XX na região francesa de Lorena, mais concretamente, em Nancy. Foi ali que os artesãos da época criaram peças de vidro únicas, com decorações inspiradas na Natureza.

 

A exposição revelará a essência desta técnica artesanal de trabalhar o vidro, que requer muita perícia e destreza dos vidreiros durante todo o processo.

Partilhar

Post a Comment