Associação Académica da Universidade de Aveiro conquista dois títulos na Covilhã

 

 

 

A Associação Académica da Universidade de Aveiro sagrou-se campeã nacional universitária em Basquetebol feminino e em Futebol de 11 masculino, numa competição realizada na Universidade da Beira Interior, na Covilhã e que contou, na assistência, com a presença dos responsáveis máximos da Universidade de Aveiro, entre eles o reitor Paulo Jorge Ferreira, que não escondeu, nas redes sociais, o orgulho no feito dos alunos da instituição.

 

A Aveiro Mag falou com os dois responsáveis técnicos de ambas as equipas, José Guerreiro no basquetebol e Rui Neves, no futebol, que não esconderam a satisfação pela conquista, mas, sobretudo, pelo empenho e seriedade com os que as e os atletas aveirenses demonstraram ter ao longo da semana.

 

O exemplo do basquetebol

 

Na última década a equipa de basquetebol feminino tem estado sempre presente na final da competição, fruto de um “trabalho de grande nível” feito pelos clubes aveirenses e, depois, “nos estágios e competições universitárias”, de acordo com José Guerreiro, que não podia deixar de referenciar, na hora da vitória, “a qualidade dos clubes da região” que permitem ter “sempre atletas de muito valor”.

 

Depois de há dois anos se ter sagrado campeã universitária, a AAUAv não pode, em 2019, defender o título, devido à pandemia da Covid-19. Esse hiato competitivo aliado ao revés sentido pelas atletas, já este ano, na competição de 3×3, onde não conseguiram vencer, fizeram com que para esta competição, o espírito fosse ainda mais forte.

 

“A nossa equipa sempre foi um exemplo naquilo que é o seu espírito. O ambiente que criam, a atitude que apresentam tem sido sempre diferenciadora, mas este ano, estavam mais unidas que nunca e isso, refletiu-se em campo. Merecem o título por tudo o que deram, pelo foco e determinação que tiveram”.

 

A história que o futebol fez

 

Até esta edição, o futebol de 11 masculino da AAUAv nunca tinha vencido os CNUs. E quando, na primeira jornada, frente ao Politécnico de Coimbra, a derrota surgiu, o desconforto poderia ter surgido. Mas não. Para Rui Neves, o treinador responsável pela equipa, serviu de alerta, mas nunca sem colocar em causa a qualidade da equipa.

 

“Foi uma derrota, nada mais que isso. A viagem do dia anterior custou, não se dormiu bem por causa do calor e, depois, o que podia correr mal, correu. Mas a equipa respondeu bem e, até à final, conseguimos sempre vencer de forma folgada, passando o grupo em primeiro e, na meia-final, a fazer o melhor jogo. Na final, as dificuldades surgiram, muito por culpa da estratégia adversária, mas depois de marcar o primeiro, tudo se resolveu”.

 

Com a conquista do título inédito, Rui Neves destaca a importância do feito para a AAUAv, mas também para a própria Universidade de Aveiro, que teve, na Covilhã, a presença dos seus órgãos de gestão: “foi bom perceber o impacto que a conquista teve para a própria instituição. Os miúdos merecem pelo empenho e seriedade com que encararam a prova. Espero que seja, o primeiro de muitos títulos e que a secção de Futebol se solidifique e continue a crescer”.

 

 

* Créditos da foto: Universidade de Aveiro

 

Partilhar

Post a Comment