Dom Quixote e Sancho Pança chegam este sábado “AoMAR”

 

 

 

Dom Quixote e Sancho Pança andam a viver novas aventuras e, desta vez, até têm passagem garantida por Ílhavo. Estão a viajar desde a fronteira até “AoMAR”, protagonizando umas quantas peripécias dignas de serem partilhadas com o público. Vai poder conhecê-las este sábado, pelas 21h30, na Fábrica das Ideias da Gafanha da Nazaré, num espetáculo que também pretende colocar a público a refletir. Sobre a forma como nos relacionamos com o tempo e com o espaço, a relação entre as tão dispersas realidades do interior e do litoral, a memória do passado, os desafios do presente e o sonho de um amanhã com boa comida e bom tempo.

 

Esta nova aventura do Cavaleiro da Triste Figura e do seu fiel braço direito resulta de uma criação de Graeme Pulleyn, fã confesso da obra “Dom Quixote”. “Ando apaixonado por esta dupla intemporal desde que me cruzei com o livro, já há muitos anos, e com vontade de fazer um espetáculo inspirado neles e cruzando esta inspiração clássica com o nosso território”, refere o encenador, em conversa com a Aveiro Mag. O resultado? Dom Quixote e Sancho Pança surgem numa “versão beirã do século XXI e numa nova odisseia que começa em Almeida, a um tiro de Espanha e termina em Ílhavo onde o olhar se estende sobre o Oceano Atlântico”, refere a sinopse da peça.

 

“Vão se cruzando com os povos, as comunidades, procurando fazer uma reflexão sobre estas questões dos nossos tempos: da interioridade, do abandono, de como viajamos, que vida é esta em que não paramos para usufruir das aventuras que a vida nos apresenta”, acrescenta o encenador e ator.

 

“AoMAR” apresenta-se, assim, como “uma reflexão muito dinâmica, humorística, emocionante e muito sentida, feita através do cruzamento do teatro e do cinema”, revela Graeme Pulleyn, especificando: “ao longo do espetáculo são apresentadas imagens cinematográficas da viagem feita numa moto, com um sidecar, desde Almeida até Ílhavo”. Imagens que contaram com a participação das várias comunidades encontradas ao longo do caminho e “culminando com a comunidade de Ílhavo, numa cena fantástica que foi gravada do Navio-Museu Santo André.

 

Com encenação de Patrick Murys e interpretação Graeme Pulleyn e Ricardo Augusto, “AoMAR” já passou por Viseu, Leiria, Montemuro e chega, agora, à Gafanha da Nazaré. Os bilhetes custam 5 euros e podem ser comprados online.

 

 

 

 

 

Partilhar

Post a Comment