Madrigal – a reinvenção de um clássico

Onde se come

 

João Manuel Oliveira

 

 

Caros leitores, quando vos começarem a contar uma história, fiquem sempre com “a pulga atrás da orelha” sobre os reais motivos da mesma. Pode ser, por exemplo, para vos cativar com o passado, preparar-vos para o pior ou… simplesmente, para o interlocutor divagar sobre como o mundo mudou…

 

Ou então, para lembrar que é obrigatório conhecer mesmo a história e o passado. Até nos restaurantes. Mas deixemo-nos de gastar caracteres que mesmo na versão online eles ainda têm um custo.

 

Os irmãos Castelhano têm um passado consolidado na gestão da restauração e nas artes da hotelaria, do saber receber. Quando tiveram a oportunidade de ficar com um espaço tão carismático e histórico como o Centenário, não hesitaram. Mas, sem pandemias ou com pandemias, tiveram que tomar decisões difíceis: o Centenário, tal como estava, não era um projeto viável. E aplicaram uma das velhas máximas: dar ao cliente o que pretende, mas com mudança de visual, conceito e nome, para que tudo seja claro como água para quem se desloca.

 

Por isso, agora não vamos ao Centenário mas sim ao Madrigal. Desenhado para famílias e jovens casais, avós e netos, pessoas descontraídas e malta mais sofisticada. Carta direta ao prazer, explorando pequenos desejos e gulas. A receita resultou porque a reserva convém que seja feita, para jantar às sextas e sábados a horas normais…

 

Num espaço com inspiração italiana ma non troppo, as entradas são crostinis, pão de alho, a Burrata ou, num ambiente mais descontraído, a tábua de enchidos e queijos que poderá ser uma refeição, acompanhada de uma garrafa de vinho. Não deixe de provar o salmão marinado. É de chorar por mais… As saladas também conseguem ser uma refeição, em dias mais descontraídos, aproveitando a esplanada.

 

Se é fã das pizzas mais conhecidas de Aveiro, então sabe que as opções são com a mesma qualidade e sabedoria: fiquemos por aqui nessa parte do menu e saltemos para a diferenciação. Pratos de partilha como a posta com batata alourada e espargos (ou grelos, dependendo da época), é gula pura. As massadas de peixe são consistentes e os risotos disponíveis (desde legumes a bacalhau fresco, passando pelo de camarão), são bem executados e saborosos. Por fim, há bifes (três opções diferentes) acompanhados com umas batatas fritas muito bem feitas e dois pratos fora da caixa e que valem a visita: o Tornedó Rossini, que honra a receita clássica e o Ossobucco à Milanesa… É experimentar!

 

A carta de vinhos não surpreende, mas estava em reformulação. Marcas conhecidas e opções a preço justo, o que é de louvar. O restaurante tem a opção de BYOB, a seis euros, mas deve melhorar o nível de copos servido. Bom apetite.

 

Preço médio (20/27 euros) – menu disponível online

Madrigal restaurante

praça do mercado 9/10

3800-223 Aveiro

Portugal

 

reservas: 234 422 798

https://www.madrigal-restaurante.pt/

 

 

Partilhar

Post a Comment