Festival do Bacalhau acontece de 10 a 14 de agosto

 

 

A Câmara Municipal de Ílhavo acaba de confirmar a realização do maior Festival de Bacalhau do país, de 10 a 14 de agosto. O palco da gastronomia e da música é o Jardim Oudinot, na Gafanha da Nazaré.

 

Ao longo de cinco dias, de manhã à noite, para além de experimentar as melhores receitas do “fiel amigo” confecionadas pelas 14 associações, há um vasto programa a descobrir: sessões de showcooking, degustações, mostra de artesanato, concursos, oficinas, exposições, atividades desportivas e visitas guiadas ao renovado Navio-Museu Santo André.

 

As cinco noites serão vividas, de forma especial, com concertos no palco principal. Na noite de abertura, dia 10 de agosto, a música tradicional portuguesa sobe ao palco, com os Sons do Minho, trazendo alegria e boa disposição. A irreverência de Bárbara Bandeira invade o palco no dia 11 de agosto com os seus sucessos. A 12 de agosto, os “históricos” UHF prometem um espetáculo marcado pelas canções intemporais como “Cavalos de Corrida”, “Rua do Carmo” ou “Menina estás à Janela”. No dia 13 de agosto é a vez da banda revelação de Coimbra, Os Quatro e Meia. No dia 14 de agosto, na última noite, Dulce Pontes apresenta o seu novo álbum “Perfil”, fechando com chave de ouro o Festival do Bacalhau.

 

O presidente da Câmara Municipal de Ílhavo, João Campolargo, afirma que “o Festival do Bacalhau é uma aposta na valorização da história e das tradições do Município, na dinamização da economia local e na atratividade turística do território, onde a gastronomia e a natureza são marcas muitos fortes. O Festival do Bacalhau é um convite para as pessoas visitarem, descobrirem e experimentarem as iguarias únicas, o acolhimento caloroso e a beleza da ria e do mar que fazem de Ílhavo um lugar único no país e no mundo”.

 

Mariana Ramos, vereadora do Turismo e Eventos, reforça a importância das associações locais: “Trata-se de um festival gastronómico único no país, cuja envolvência do movimento associativo é notável. Durante cinco dias, teremos cerca de 500 pessoas, pertencentes às várias associações, a participarem ativamente neste evento que prova, sobretudo, que é a vivência em comunidade que nos caracteriza e nos move”.

 

 

 

Partilhar

2 Comments

  • Almeno Gonçalves
    28 de Abril, 2022

    Antes que se extinga, é isso? Quanta ignorância, meu deus. Em vez de se promover num festival alternativas sustentáveis, bora lá continuar as nossas belas tradições excessivas. Ridículo. Guardem as recordações para os vossos netos, daqueles tempos em que se fazia banquetes com animais ameaçados de extinção.

  • Armando Cravo
    29 de Abril, 2022

    A Feira de Março em Aveiro, tem uma longevidade de quinhentos e tal anos e no entanto, continua sempre atual!!!

Post a Comment