No seu 188º aniversário, a Banda Amizade brinda-nos com um concerto único

 

 

 

Mandam as regras que, em dia de aniversário, se presenteiem aqueles que cumprem mais um ano de vida. A Banda Amizade, de Aveiro, optou por fazer o contrário, brindando ela própria os convidados da sua festa de aniversário (vai já para o 188º) com um presente: irá proporcionar um concerto especial, preenchido com temas inéditos, criados com a prata da casa. Acontece no próximo domingo, dia 27, pelas 17ho0, no Teatro Aveirense.

 

Mais do que um concerto comemorativo de aniversário, “Sete Pecados Mortais” tem também a forma de um CD, a ser lançado no dia do espectáculo, e que resulta do desafio lançado pela Banda Amizade aos compositores que dela fazem parte. “Cada um deles escreveu uma canção e o resultado é este conjunto de músicas que iremos apresentar ao público”, destaca Emídio Abrantes, presidente da Banda Amizade, à Aveiro Mag.

 

São sete obras bastante diversas quer no género, quer nas formas utilizadas, quer ainda na sua funcionalidade. Repletas de contrastes, diversidade de recursos estilísticos e de texturas variáveis na sua densidade, estas obras refletem, muito naturalmente, os diferentes lastros, conceitos criativos e atividade artística e performativa de cada um dos compositores.

 

Está, assim, mais do que garantida a qualidade do concerto, assim como a do CD homónimo. “O mais fantástico é que o processo foi quase todo feito internamente, na própria Banda Amizade. Só a parte das gravações é que envolveram um trabalho mais profissional, no DECA – Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro”, acrescenta o presidente da instituição.

 

A Banda Amizade – Banda Sinfónica de Aveiro, outrora conhecida por “Música Velha” e por Filarmónica Amizade, surgiu no ano de 1834 e mantém, até aos dias de hoje, uma atividade ininterrupta e intensa. Devido ao seu papel na comunidade, a Banda Amizade já recebeu as medalhas de Prata e de Ouro (1985) da cidade de Aveiro e foi condecorada com a Medalha de Ouro da União de Freguesias da Glória e Vera Cruz (2016). São 188 anos a formar músicos e a tocar, levando mais longe o nome da Banda Amizade, de Aveiro e de Portugal.

 

Emídio Abrantes considera que o desafio é ainda maior pelo facto de a instituição se manter no centro da cidade. “Neste momento, devemos ser a única banda no centro de uma capital de distrito, em pleno centro urbano”, refere, recordando que este tipo de instituições precisam de criar referências junto do comunidade.

Partilhar

2 Comments

  • Otilia
    23 de Novembro, 2022

    Eu, Otilia li a notícia e apoio a iniciativa,mas não vi onde será o concerto! Dou os parabéns, conheci alguém, Daniel Madaíl que foi á muitos anos vocalista da banda e sinto um certo carinho por isso mesmo!
    Bem hajam e muito sucesso!

    • AveiroMag
      23 de Novembro, 2022

      Diz no primeiro parágrafo: Teatro Aveirense

Post a Comment