Ciclo de exposições e conversas: Águeda volta a colocar o desenho no centro das atenções

 

 

 

O município de Águeda vai promover, de 14 de janeiro a 30 de setembro, mais uma edição do ciclo “O Desenho Como Pensamento”.  A iniciativa, que conta com a parceria da Universidade de Aveiro e a Câmara de Albergaria-a-Velha, compreenderá a realização de 18 exposições individuais, três coletivas e seis conversas, mobilizando um total de cerca de 60 artistas, avança Alexandre Baptista, diretor artístico do ciclo.

 

Esta que é já a segunda edição – a primeira aconteceu ainda em contexto de pandemia – do evento bienal, tem inauguração prevista para as 16h30 do próximo sábado, 14 de janeiro, no Salão de Chá do Parque Municipal de Alta Vila, com a abertura da mostra de Inês Teles. Segue-se, nesse mesmo dia, a abertura das mostras de Pedro Cabrita Reis (Sala Estúdio do Centro de Artes de Águeda) e de Nuno Sousa Vieira (ESTGA e Sala Polivalente da Biblioteca Manuel Alegre).

 

“’O Desenho como Pensamento’ traz a Águeda, mais uma vez, artistas de todo o país, distintos na sua linguagem conceptual e que privilegiam o desenho na sua obra. Voltamos a ter 18 exposições individuais e três coletivas, de uma forma descentralizada em vários locais, nomeadamente Centro de Artes de Águeda, Sala Polivalente da Biblioteca Municipal Manuel Alegre, Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda – ESTGA, Sala Hélène de Beauvoir e Complexo Pedagógico (Universidade de Aveiro) e ainda no Cine Teatro Alba e Biblioteca Municipal de Albergaria-a-Velha”, destaca Jorge Almeida, presidente da autarquia aguedense.

 

Esta iniciativa, que conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República, evidencia a importância do desenho nas várias atividades profissionais, seja a arquitetura, a indústria ou o ensino, mas também na formação de ideias e no desenvolvimento da prática artística.

 

“É o reconhecimento da importância desta manifestação artística e a vontade do município contribuir para a afirmação do desenho como processo criativo, que acolhemos a primeira e a segunda edição deste ciclo”, realça, por seu turno, Edson Santos, vice-presidente da câmara, recordando: “A primeira edição assumiu-se como uma iniciativa de referência no panorama artístico e cultural do nosso país, mesmo tendo sido promovido num período de pandemia e com todas as restrições exigidas. O ciclo ‘O Desenho como Pensamento’, conseguiu ainda assim, registar 4.200 visitantes”.

 

Até 30 de setembro, o desenho estará, assim, no centro de todas as atenções em vários locais de Águeda, com extensões à Universidade de Aveiro e ao município de Albergaria, que receberão duas mostras coletivas. As mostras individuais estão organizadas por grupos – o primeiro irá decorrer de 14 de janeiro a 22 de fevereiro; o segundo, de 4 de março a 12 de abril; o terceiro acontece de 22 de abril a 24 de maio; o quarto, de 3 de junho a 5 de julho; o quinto, de 15 de julho a 23 de agosto; e o sexto e último, de 2 a 30 de setembro – e as conversas irão incidir sobre seis temas diferentes.

 

A apresentação oficial do programa aconteceu na última sexta-feira, no Centro de Artes de Águeda, e contou também com a presença de Alexandra Queirós, vice-reitora da UA, e Delfim Bismarck, vice-presidente da Câmara de Albergaria-a-Velha.

 

Partilhar

Post a Comment