AveiroMag AveiroMag

Magazine online generalista e de âmbito regional. A Aveiro Mag aposta em conteúdos relacionados com factos e figuras de Aveiro. Feita por, e para, aveirenses, esta é uma revista que está sempre atenta ao pulsar da região!

Aveiro Mag®

Faça parte deste projeto e anuncie aqui!

Pretendemos associar-nos a marcas que se revejam na nossa ambição e pretendam ser melhores, assim como nós. Anuncie connosco.

Como anunciar

Aveiro Mag®

Avenida Dr. Lourenço Peixinho, n.º 49, 1.º Direito, Fracção J.

3800-164 Aveiro

geral@aveiromag.pt
Aveiromag

Albergaria: Monte de São Julião vai ter novo centro pedagógico

Património

O objetivo é criar um espaço de fruição para a comunidade, valorizando o património arqueológico, ambiental e paisagístico.

O município de Albergaria-a-Velha vai criar um centro pedagógico orientado para a arqueologia e o ambiente no Monte de São Julião, freguesia da Branca, anunciou o vice-presidente da câmara, Delfim Bismarck.

O projeto nasce de uma parceria entre o município de Albergaria-a-Velha, o Centro de Arqueologia de Arouca, a associação BioLiving e a Loci Studio.

Este centro pedagógico incluirá a musealização do espaço arqueológico, uma rede de percursos com sinalética a explicar os valores do sítio, um miradouro, um espaço de clareira para recreio e lazer, uma zona de receção, sanitários e estacionamento.

Nas várias escavações arqueológicas desenvolvidas no Monte de São Julião, já foram identificados importantes vestígios, desde a ocupação pré-histórica (a mamoa), passando por um povoado dos finais da Idade do Bronze (muralha ou estrutura de delimitação e utensílios de uso doméstico), até ao século XIX, com a identificação de um posto de telegrafia ótico (telégrafo militar).

Além do valor científico do local, existe o potencial para criar uma “ilha” de regeneração e proteção ambiental, daí o projeto incluir a recuperação ecológica do Monte de São Julião. Foram identificadas dezanove espécies de flora nativa e cinco de flora exótica, das quais quatro invasoras. O objetivo é limpar a área das plantas invasoras e promover a plantação de espécies nativas, como o sobreiro, carvalho, carvalhiça, castanheiro, medronheiro ou o sanguinho-de-água. Salienta-se ainda a presença de um importante património faunístico com a presença de invertebrados, répteis, anfíbios, aves, mamíferos não voadores e mamíferos voadores (morcegos).

Para proceder à recuperação ecológica do local, o município de Albergaria-a-Velha e a Associação BioLiving vão promover uma ação de voluntariado em fevereiro e março para a remoção e controlo de eucaliptos e de espécies exóticas e invasoras, seguindo-se a regeneração natural e a plantação de espécies nativas.

Campus Jazz Publicidade

Deixa um comentário

O teu endereço de e-mail não será publicado. Todos os campos são de preenchimento obrigatório.