AveiroMag AveiroMag

Magazine online generalista e de âmbito regional. A Aveiro Mag aposta em conteúdos relacionados com factos e figuras de Aveiro. Feita por, e para, aveirenses, esta é uma revista que está sempre atenta ao pulsar da região!

Aveiro Mag®

Faça parte deste projeto e anuncie aqui!

Pretendemos associar-nos a marcas que se revejam na nossa ambição e pretendam ser melhores, assim como nós. Anuncie connosco.

Como anunciar

Aveiro Mag®

Avenida Dr. Lourenço Peixinho, n.º 49, 1.º Direito, Fracção J.

3800-164 Aveiro

geral@aveiromag.pt
Aveiromag

Daniel Henriques: De dormir no carro ao topo do ramo imobiliário

Sociedade

Há histórias de sucesso e que são um exemplo real. De que nada nos limita e nada nos pode impedir de sonhar. A de Daniel Henriques é uma delas. Sem tirar nem pôr. Aos 43 anos, o aveirense, de Cacia, e a equipa por si liderada – na categoria de mais de nove elementos – foi considerada a melhor da Europa, no espectro do grupo RE/MAX. Um título que acontece desde 2021, ano em que, tal como em 2022, foi também a melhor do mundo.

Nem tudo foram rosas na vida de Daniel. E quem o conhece sabe-o bem. Mas mais importante do que isso, é ele também o saber. E fazer disso a sua principal força. De resiliência. De reação à adversidade. De dar valor às pequenas coisas. E foi essa capacidade que fez com que, no ramo imobiliário, tenha quebrado barreiras e superado todos os obstáculos. Desde as três semanas em que dormiu no carro – por não ter como pagar um quarto – até aos dois milhões de comissões em 2021. Nada acontece por acaso. Nesta história também não.

Dos bancos da escola à empresa familiar

A escola nunca foi o forte de Daniel e cedo a deixou, trocando a sala de aula e o recreio pela empresa familiar. A explicação não podia ser mais direta: “Sempre senti que estava a perder o meu tempo. Então, a determinada altura, decidi abandonar. O que ficou foi, claramente, as pessoas que conheci e que hoje, mais ou menos presentes, ainda são importantes para mim e que recordo com muita saudade”.

O trabalho começou, então, “muito cedo”, num caminho traçado por se sentir uma pessoa “muito ativa e direcionada para os negócios”. “Sempre tive uma paixão por tudo o que era o mundo empresarial e as vendas”, conta à Aveiro Mag, assumindo, ainda assim, que as experiências “nessas empresas” lhe mostraram principalmente aquilo “que não queria ser” em vez de o contrário.

As recordações de Aveiro

De Aveiro guarda boas memórias. As passadas no futebol, no torneio que venceu em França pela Associação Desportiva de Taboeira. As pessoas. As ruas. As memórias. Os amigos. “Aveiro ainda é a ‘minha’ cidade. Recordo-me da sensação de liberdade e de autonomia, do espírito comunitário em que cresci. Dos meus amigos e da partilha de muitos momentos de felicidade genuína. Da entreajuda e da simplicidade. Ficam as minhas pessoas, os meus amigos de uma vida e a minha família materna, o meu grande pilar e a quem devo tudo”.

Mas, como já foi escrito, nem tudo foram rosas. E em algumas alturas, os espinhos deixaram marca e histórias para contar. Daniel não foge ao passado, até porque, como assume de peito aberto, todas as vivências, todos os percalços, todas as angústias, refletem um dos seus conceitos preferidos. Foram escolhas. E cada escolha tem uma consequência. E nem todas foram boas.

Um passo atrás, dois à frente

“Sou quem sou hoje devido a essa mudança. Bati literalmente no ‘fundo do poço’ e graças a essa queda, posso dizer que mudei completamente a minha forma de viver. Foi um período muito difícil, que me permitiu, sobretudo, conhecer-me”. Nestas alturas, o que faz a diferença? De onde vem o tal “clic” que permite sair do “buraco”?

“Quem me ajudou foram os meus amigos e a minha mãe, que me mostraram um programa de mudança para crescimento pessoal. Passei a ter mais ferramentas, a conhecer-me melhor, e a saber lidar comigo. Claro que não basta ter, é preciso querer, e eu, nessa altura, queria muito essa mudança na minha vida. Tudo é baseado nas escolhas que fazemos e eu escolhi fazer diferente e com isso tenho obtido resultados diferentes”.

A chegada a Lisboa e à RE/MAX

Quem aceder à página de Daniel Henriques no Facebook, vai poder ver que tem dado muitas palestras motivacionais nos últimos anos, onde conta as suas experiências de vida e como elas o fizeram chegar onde chegou. E que o fazem querer ajudar muito os outros. Num dos “reels”, conta a história de ter dormido três semanas no carro, por não ter dinheiro para um quarto. Com essa dificuldade, podia ter desistido. Mas escolheu ficar.

“Cheguei à RE/MAX há oito anos, foi o meu recomeço. Não posso dizer que não tinha nada, porque tinha. Uma enorme vontade de vencer. Para além disso, sabia que com sacrifício, humildade, gratidão, mete aberta e boa vontade, tudo iria dar certo. Era a minha única oportunidade. Tinha de o fazer resultar”.

Ao final do primeiro ano, o primeiro prémio. A maior faturação de sempre num agente novo. Mais de 300 mil euros. De lá para cá, em oito anos, chegou ao topo do “mundo”, mesmo com um ano de transição com a criação de uma equipa própria. Em 2021, dois milhões de euros de comissões. Um percurso ascensional rápido, mas longe do chavão de ter tido sorte.

“Quando comecei, só tinha um objetivo: Ter segurança financeira. O que mais queria era ter para viver e endireitar a minha vida. Mas percebi que trabalhando o que eu trabalhava e de onde eu vinha, do meio empresarial, que esta era uma área de enormes oportunidades. Mas esta é, também, uma das atividades mais exigentes a nível de disponibilidade mental, física e psicológica. Quem julga que basta abrir umas portas para fechar uns negócios, está redondamente enganado. É uma profissão de extrema exigência e com um enorme impacto na economia e, sobretudo, na vida das famílias”.

E o futuro?

Nos dias em que antecedeu a publicação desta entrevista, Daniel Henriques voltou a conquistar o topo europeu na RE/MAX na categoria das grandes equipas. Isto porque trabalha com dezasseis pessoas. Quando tanto se conquista em qualquer ramo que seja, o que se pode almejar mais, ano após ano?

“Hoje estou grato por tudo o que consegui. E quero continuar a ter a capacidade de nunca desistir do que acredito ser o melhor para mim e para quem me rodeia. Os meus objetivos passam por consolidar o meu crescimento, partilhar a minha história com o máximo número de pessoas possível, sabendo que se conseguir ajudar alguém, uma pessoa que seja, já terei cumprido a minha missão”.

Conquistas:

2016 – N.º1 na Linha de Cascais e maior faturação de sempre – mais de 300 mil euros – num agente de primeiro ano

2017 – Prémio Diamond – faturação acima de um milhão de euros em comissões – prémio só alcançado por cinco pessoas até à data

2018 – N.º1 a nível nacional, europeu e Mundial

2019 – N.º1 a nível nacional, europeu e Mundial

2020 – Ano de transição e formação de equipa

2021 – N.º1 a nível nacional, europeu e Mundial, alcançado um resultado histórico na rede Remax em Portugal e na Europa com mais de 2.000.000.00€ em comissões

2022 - N.º1 a nível nacional, europeu e Mundial

Canal Publicidade

Apelo a contribuição dos leitores

O artigo que está a ler resulta de um trabalho desenvolvido pela redação da Aveiro Mag. Se puder, contribua para esta aposta no jornalismo regional (a Aveiro Mag mantém os seus conteúdos abertos a todos os leitores). A partir de 1 euro pode fazer toda a diferença.

IBAN: PT50 0033 0000 4555 2395 4290 5

MB Way: 913 851 503

Deixa um comentário

O teu endereço de e-mail não será publicado. Todos os campos são de preenchimento obrigatório.