AveiroMag AveiroMag

Magazine online generalista e de âmbito regional. A Aveiro Mag aposta em conteúdos relacionados com factos e figuras de Aveiro. Feita por, e para, aveirenses, esta é uma revista que está sempre atenta ao pulsar da região!

Aveiro Mag®

Faça parte deste projeto e anuncie aqui!

Pretendemos associar-nos a marcas que se revejam na nossa ambição e pretendam ser melhores, assim como nós. Anuncie connosco.

Como anunciar

Aveiro Mag®

Avenida Dr. Lourenço Peixinho, n.º 49, 1.º Direito, Fracção J.

3800-164 Aveiro

geral@aveiromag.pt
Aveiromag

Né Barros regressa este sábado a Aveiro com um momento “poético”

Artes

Em três anos já percorreu vários pontos do país e também do estrangeiro, merecendo sempre grande recetividade. Este sábado, é apresentado, pela primeira vez, em Aveiro – mais concretamente no palco do Teatro Aveirense. Dirigido por Né Barros e João Martinho Moura, Co:Lateral é um espetáculo que explora a relação entre a dança e as artes digitais e que tem uma forte componente de interação, “do gesto com a parte digital”, o que se traduz numa certa “imprevisibilidade em cada momento” e na certeza de que “o espetáculo pode ser diferente a cada apresentação”, realça a própria coreógrafa.

A matriz, contudo, permanece intocável. “De uma forma poética, o espetáculo cria um ciclo de nascimento até à morte do cisne, numa evocação da própria história da dança mas também da história de um corpo”, desvenda Né Barros, em entrevista à Aveiro Mag.

Coreógrafa e bailarina, cofundadora e membro da direção do balleteatro, ao longo da sua carreira, tem desenvolvido trabalhos artísticos em ligação com os científicos - cujas áreas de pesquisa são a estética e as práticas contemporâneas na dança e nas artes performativas. Começou por ser ela a intérprete de Co:Lateral, mas acabou por ficar apenas com a direção do espetáculo.

Este sábado, em palco vai estar Sónia Cunha, uma só bailarina em consonância com as artes digitais, numa exibição sujeita a uma grande precisão. “Para se produzir determinado efeito é necessário que a posição do corpo, o modo como se desloca, seja muito precisa”, destaca a coreógrafa.

Um regresso depois de “décadas”

Né Barros confessa que já não traz trabalhos seus a Aveiro “há décadas”, mostrando-se ansiosa para regressar “a uma cidade belíssima e a um espaço espetacular”. “Espero que a partir de agora seja um parceiro importante de circulação de outros trabalhos e propostas que tenho estado a desenvolver”, testemunha.

Em conversa com a Aveiro Mag, a coreógrafa acabaria por falar também sobre a forma como enfrentou o recente período de confinamento, que afetou gravemente o setor cultural. “Como mantivemos o lado da programação específica online, apresentando alguns trabalhos que tinham sido bem filmados e realizados, fomos tendo esta relação à distância com o público. E como também tenho um projeto novo, de um trabalho que vou apresentar em coprodução com o Teatro Nacional de São João, aproveitei para aprofundar e investigar esse trabalho”, relata.

Né Barros olha para este momento de crise também com a perspetiva de aprendizagem. “Abriu-se um canal novo que é poder comunicar trabalhos à distância, através de um outro suporte, que não se substitui à presença, mas é uma outra possibilidade”, frisa.

Neste momento, a coreógrafa está também a trabalhar num outro projeto em parceria com João Martinho Moura, mas cuja apresentação está, por ora, suspensa por força da pandemia. “Implica que o público tenha um capacete de realidade virtual e isso nesta fase não é recomendável”, explica.

Festa Publicidade

Apelo a contribuição dos leitores

O artigo que está a ler resulta de um trabalho desenvolvido pela redação da Aveiro Mag. Se puder, contribua para esta aposta no jornalismo regional (a Aveiro Mag mantém os seus conteúdos abertos a todos os leitores). A partir de 1 euro pode fazer toda a diferença.

IBAN: PT50 0033 0000 4555 2395 4290 5

MB Way: 913 851 503

Deixa um comentário

O teu endereço de e-mail não será publicado. Todos os campos são de preenchimento obrigatório.