AveiroMag AveiroMag

Magazine online generalista e de âmbito regional. A Aveiro Mag aposta em conteúdos relacionados com factos e figuras de Aveiro. Feita por, e para, aveirenses, esta é uma revista que está sempre atenta ao pulsar da região!

Aveiro Mag®

Faça parte deste projeto e anuncie aqui!

Pretendemos associar-nos a marcas que se revejam na nossa ambição e pretendam ser melhores, assim como nós. Anuncie connosco.

Como anunciar

Aveiro Mag®

Avenida Dr. Lourenço Peixinho, n.º 49, 1.º Direito, Fracção J.

3800-164 Aveiro

geral@aveiromag.pt
Aveiromag

Bluefin by Kinjolas - Um cantinho na Barra plantado

Gastronomia

Onde se come

João Manuel Oliveira

Antes da pandemia era, com exceção do verão, um “one man show” pois o espaço tinha duas mesas exteriores, numa esplanada agradável e protegida (quem é de Aveiro sabe o quanto é obrigatório as esplanadas serem resguardadas…) e quatro interiores: sendo uma maior e as outras para duas/três pessoas. Com a pandemia e o fecho de um espaço ao lado, ampliou as instalações e por isso consegue receber mais pessoas e por vezes, especialmente no Verão, precisa ter colaboradores, tal a quantidade de pessoas à procura do misterioso espaço que consegue servir japonês e mexicano numa cozinha diferente, sempre colada às idiossincrasias do Pedro Anjos (aka Kinjolas). Bem-vindos ao seu mundo mágico.

Ora vamos conhecer o seu autor, pois há espaços que dependem dos seus mestres, não são fábricas anónimas de produção alimentar. Pedro Anjos, um autor, realizador, ator, sonhador, começou em 2003, em Lisboa. O sushi surgiu-lhe na vida e foi um dos vanguardistas, com um dos primeiros restaurantes no centro de Lisboa, ao príncipe real. Depois andou pelo Algarve aproveitando os verões para divulgar a técnica entre turistas e o restaurante de Lisboa. Em 2009 avançou para um food truck de sushi e esteve com corners no Meo Arena entre outros lugares. Não esqueceu Aveiro e começou por uma parceria com o Fonte Nova, Visual e Mercado do Peixe em momentos diferentes.

Desde 5 de Maio de 2015, aterrou ao pé do Farol, abrindo o Bluefin powered by Kinjolas. Desde o início que apostou numa opção exótica de juntar mexicano a japonês, com dois sentidos: abrir o leque de clientes e possibilitar a descoberta de outros mundos a quem adora apenas um deles. Sem esquecer que há sempre dois pratos de ligação: os tacos de atum bluefin e o de caranguejo.

Mas vamos à carta que o texto vai longo: as entradas são deliciosas, seja num clássico da região como o camarão com tempura de amêndoa ou as gyosas verdes, mas não esqueça de provar o wakame (a salada de algas). Antes de ir para qual opção principal (o melhor é deixar-se nas mãos do chef…) opte por navegar na qualidade dos pratos ou perguntar se há algo fora da carta. Fresco, é de certeza!

Sushi e sashimi são feitos num estilo muito próprio e por isso, se é apaixonado pela fusão ou pelo tradicional, convém avisar antes. Mas é um restaurante onde deve abrir a mente e deixar-se ir. Ah, e não vá pela sobremesa. Só há uma e é para dizer que há, a tarte de maçã com gelado.

Por fim, a carta de vinhos, algo que não poderia deixar de referir. As opções são limitadas a um produtor e a melhor opção são as clássicas neste tipo de restaurantes: os jarros de sangria, sake ou margaritas! O meu preferido é a sangria de espumante com frutos vermelhos. Bom apetite.

Preço médio (30/35 euros) – menu disponível online

Bluefin Powered by Kinjolas Avenida João Corte Real, nº8, 3830-751 Praia da Barra, Ílhavo, Aveiro Portugal +351 234 029 277 +351 918 165986 hello@bluefinbykinjolas.com https://bluefinbykinjolas.com/
Festa Publicidade

Apelo a contribuição dos leitores

O artigo que está a ler resulta de um trabalho desenvolvido pela redação da Aveiro Mag. Se puder, contribua para esta aposta no jornalismo regional (a Aveiro Mag mantém os seus conteúdos abertos a todos os leitores). A partir de 1 euro pode fazer toda a diferença.

IBAN: PT50 0033 0000 4555 2395 4290 5

MB Way: 913 851 503

Deixa um comentário

O teu endereço de e-mail não será publicado. Todos os campos são de preenchimento obrigatório.