AveiroMag AveiroMag

Magazine online generalista e de âmbito regional. A Aveiro Mag aposta em conteúdos relacionados com factos e figuras de Aveiro. Feita por, e para, aveirenses, esta é uma revista que está sempre atenta ao pulsar da região!

Aveiro Mag®

Faça parte deste projeto e anuncie aqui!

Pretendemos associar-nos a marcas que se revejam na nossa ambição e pretendam ser melhores, assim como nós. Anuncie connosco.

Como anunciar

Aveiro Mag®

Avenida Dr. Lourenço Peixinho, n.º 49, 1.º Direito, Fracção J.

3800-164 Aveiro

geral@aveiromag.pt
Aveiromag

A boa forma do FAMA by Luís Lavrador

Gastronomia

Onde se come

João Manuel Oliveira

Nascer numa cidade onde nunca se esteve a trabalhar, atravessar uma pandemia e numa zona nova da cidade. Se há lista do que não fazer, o Luís Lavrador conseguiu, em três anos, completar todos os pontos… No entanto, festejou há dias o terceiro aniversário do projeto de vida que lançou, numa conjugação feliz de saberes e sabores com o seu pai, o também chef e professor com o mesmo nome, Luís Lavrador.

Nascidos naquela que deveria ser considerada a “capital” dos chefes, Seixo de Mira, o pai e filho apostaram em abrir um conceito de restaurante com filosofia familiar, mas com toques de requinte, boa confeção e qualidade do produto. As ligações à região não foram descuradas.

Situado em frente ao Glicínias, o FAMA aproveitou de forma curiosa a ampla área que encontrou num novo edifício para jogar com dois espaços distintos (quem está do lado esquerdo nem vê quem almoça/janta do lado direito e algumas reentrâncias que permitem refeições mais discretas. Por outro lado, apostou na filosofia de cozinha aberta, um must para gastrónomos mais entusiastas.

Mas vamos à apreciação da carta. Em primeiro lugar é de referir que optaram (e bem, em termos de segmentação) por não ter menu executivo ao almoço. E apresentam um menu de degustação para os gastrónomos mais exigentes!

Somos recebidos com um couvert simples, mas cuidado. Uma deliciosa “tapenade” de azeitona (uma espécie de massa de azeitona bem saborosa), manteiga de ervas e azeite abrem as hostilidades enquanto “provamos” a carta.

As opções utilizam conceitos modernos: seis opções de peixe e sete de carne – mais vale serem poucas e feitas de forma excelente do que muitas e tudo pareça igual… E as entradas, a parte do menu onde deve prestar a maior atenção, porque pode, perfeitamente, fazer a refeição completa mantendo-se apenas na partilha de algumas destas delícias. O meu gosto pessoal vai para os samos fritos (ok, panados) com maionese de alho e ervas, o lingueirão ou o ovo, cogumelos e queijo da serra. Mas não quer dizer que as ameijoas, ou a caldeirada de bacalhau cremosa não sejam igualmente convidativas.

Pergunte se há algo fora da carta. Por vezes podem existir umas moelas, um berbigão, algo perdido que vos dê uma entrada de chorar por mais… Não custa perguntar. Aos domingos há pratos de forno e por vezes aparecem pratos fora da carta, dependendo da época!

Se ainda tiver fome, vamos aos principais: nos peixes, há o peixe do dia, ao peso, e depois tem os clássicos – o polvo, o bacalhau e a corvina (os acompanhamentos deste último são quase outra refeição… aquele arroz de lingueirão…). Nas carnes, há cortes vários de carnes maturadas de alta qualidade, mas também há a presa de porco, o chambão de borrego e o “rib-eye” de vitela na frigideira… As sobremesas, de qualidade, estão no menu com um sugestão de acompanhamento com vinhos generosos. Aproveite!

Deixei para último, os pratos de partilha como o arroz de marisco, a massada de garoupa ou o tomahawk de vitela, todos para duas pessoas (mas que alimentarão três…). E para os adeptos do arroz, sugiro mais uma dica: para além do risoto de cogumelos e espargos, escondido nas opções vegetarianas, e o já citado arroz de lingueirão que acompanha a corvina, podem pedir, com jeitinho, ao chef, para autonomizar o risoto de línguas? O autor agradecia ?

A carta de vinhos tem boas escolhas, com predominância, natural na nossa região, pelo Douro e Alentejo. A Bairrada está, de qualquer forma, bem representada, e no geral, há opções para todos os gostos e bolsas, claro. A copo estão sempre disponíveis três brancos, três tintos e um rosé. Os copos são de qualidade, multifacetados e o atendimento é sem falhas, profissional e competente.

Caros leitores, continuamos a receber as suas sugestões para gastronomia@magnumwineclub.com ou para os contatos da AveiroMag

Preço médio (30/40 euros) – menu disponível online

FAMA by Luís Lavrador Av. Dom Frei Miguel Bulhões e Sousa, 44 3810-164 Aveiro Portugal reservas: +351 965 334 421 reservas@famaveiro.pt https://famaveiro.pt/
Festa Publicidade

Apelo a contribuição dos leitores

O artigo que está a ler resulta de um trabalho desenvolvido pela redação da Aveiro Mag. Se puder, contribua para esta aposta no jornalismo regional (a Aveiro Mag mantém os seus conteúdos abertos a todos os leitores). A partir de 1 euro pode fazer toda a diferença.

IBAN: PT50 0033 0000 4555 2395 4290 5

MB Way: 913 851 503

Deixa um comentário

O teu endereço de e-mail não será publicado. Todos os campos são de preenchimento obrigatório.