AveiroMag AveiroMag

Magazine online generalista e de âmbito regional. A Aveiro Mag aposta em conteúdos relacionados com factos e figuras de Aveiro. Feita por, e para, aveirenses, esta é uma revista que está sempre atenta ao pulsar da região!

Aveiro Mag®

Faça parte deste projeto e anuncie aqui!

Pretendemos associar-nos a marcas que se revejam na nossa ambição e pretendam ser melhores, assim como nós. Anuncie connosco.

Como anunciar

Aveiro Mag®

Avenida Dr. Lourenço Peixinho, n.º 49, 1.º Direito, Fracção J.

3800-164 Aveiro

geral@aveiromag.pt
Aveiromag

Circo contemporâneo e teatro no Cineteatro Alba

Palcos

Circo contemporâneo e teatro fundem-se no espetáculo “Parque Central”, que a Companhia Erva Daninha apresenta no Cineteatro Alba no dia 27 de janeiro, às 21h30.

Nesta produção, com direção artística de Vasco Gomes, o espaço público desloca-se para o interior, apontando para a diversidade de cores, formas, géneros e ações. Um parque, uma praça, um jardim, um ponto de encontro, de cruzamento. Uma exposição humana intimista no espaço aberto. Um espelho da plateia, a vida a passar-nos à frente.

São ritmos e rituais acelerados de uma sociedade apressada que se desconhece. Que se cruza, observa, mas nada sabe do seu vizinho. Um estado de exceção onde as pequenas coisas ganham grandes significados. Quem chega não sabe o que se passou antes. Sabemos pouco uns dos outros. Só nós, os observadores, presenciamos as esculturas do tempo, o antes e o depois ou o que ainda está para vir.

Mercedes Publicidade

“Parque Central” conta com a interpretação de Daniel Seabra, Julieta Guimarães, Mafalda Gonçalves, Mau Jara, Nico Mancialez, Raphael Olivo e os artistas albergarienses David Valente e Victor Valente. Participação especial de Mel GG e Rafa GG. O espetáculo é uma coprodução Teatro Municipal do Porto, Teatro Diogo Bernardes, INAC e Leme.

A Erva Daninha, criada em 2006, é uma companhia dedicada ao desenvolvimento do circo contemporâneo através da criação de novos espetáculos, que partem de temáticas sociais e políticas. É desenvolvido um trabalho coreográfico que cruza as técnicas de circo com situações, ações e objetos do quotidiano. Busca-se a inspiração na vida, tentando reproduzi-la de forma extraordinária, mas procurando sempre manter uma narrativa, ainda que abstrata.

Deixa um comentário

O teu endereço de e-mail não será publicado. Todos os campos são de preenchimento obrigatório.