AveiroMag AveiroMag

Magazine online generalista e de âmbito regional. A Aveiro Mag aposta em conteúdos relacionados com factos e figuras de Aveiro. Feita por, e para, aveirenses, esta é uma revista que está sempre atenta ao pulsar da região!

Aveiro Mag®

Faça parte deste projeto e anuncie aqui!

Pretendemos associar-nos a marcas que se revejam na nossa ambição e pretendam ser melhores, assim como nós. Anuncie connosco.

Como anunciar

Aveiro Mag®

Avenida Dr. Lourenço Peixinho, n.º 49, 1.º Direito, Fracção J.

3800-164 Aveiro

geral@aveiromag.pt
Aveiromag

A meritória homenagem a José de Oliveira

Opinião

Realizou-se no passado dia 27 de janeiro, pelas 20 horas, na “Casa da Noquinhas”, no Bunheiro, Murtosa, um jantar de homenagem ao pintor José Manuel Marques de Oliveira, conhecido na borda-d´água, e pelas gentes das terras marinhoas, por Zé Manel.

O Rotary Club da Murtosa, através desta iniciativa, reconheceu publicamente “um cidadão que apresenta um percurso pessoal, profissional e artístico, baseado em princípios e valores humanistas e éticos e que utiliza a sua profissão como oportunidade”.

O programa protocolar do rotário teve vários momentos: após a saudação de boas vindas, realizou-se a saudação das bandeiras, seguida da apresentação da mesa e da apresentação rotária. Após o jantar iniciou-se a cerimónia de homenagem, e por fim o período de intervenções.

A placa de homenagem e “Reconhecimento do Mérito Profissional”, do Rotary Club da Murtosa, foi entregue pelas mãos do seu presidente, Manuel Leite, enquanto Helen Leite ofertou um ramo de flores a Paula Oliveira, a esposa do pintor.

José de Oliveira (nascido em 1969), natural da Murtosa, é um artista plástico multifacetado, com um grande e importante portefólio artístico, reconhecido a nível nacional e internacional. Para além de formador na área da pintura, tem vindo a apresentar, ao longo da sua já extensa carreira, uma constante produção de obras que tocam as mais variadas áreas artísticas: a pintura; passando pela escultura; arte sacra; heráldica; azulejaria; produção de carros alegóricos; até ao seu grande e constante contributo criativo e cultural, de 34 anos, de trabalho e dedicação empregue na decoração dos barcos tradicionais da Ria de Aveiro, nomeadamente na pintura dos painéis do barco moliceiro, mantendo a tradição pictórica dos seus antecedentes.

Conta com uma obra editada pela Câmara Municipal da Murtosa, publicada em 2019, como homenagem ao seu trabalho - “Memórias. 30 anos a pintar a Ria”, onde se pode conhecer o seu espólio fotográfico, de cerca de um milhar de painéis de barcos moliceiros produzidos por ele, desde 1989.

Neste nobre acto de homenagem e reconhecimento estiveram presentes os representantes dos clubes rotários da Murtosa, Estarreja e Ovar; o Comandante dos Bombeiros da Murtosa, João Cruz, também presidente da Associação de Fotografia e Artes Visuais da Murtosa (AFAVM) e os membros do executivo da Câmara Municipal da Murtosa, presidente Joaquim Baptista, o vice-presidente Januário Cunha e os vereadores, Fátima Arêde e Daniel Bastos.  

Esta sala encheu-se de calor humano com a presença dos restantes amigos e convidados (alunos das aulas de pintura; colaboradores/as e parceiros de trabalho; homens ligados à ria - o mestre construtor naval José Rito e familiares -, e arrais, entre outros amigos e admiradores) e da sua família, que o apoia incondicionalmente.

Seguindo o programa estabelecido, para este evento rotário, foi apresentado um vídeo, que antecedeu a celebração da homenagem, produzido por Onda Vídeo - Audiovisuais, Lda (realizado e editado pelo ilhavense Rui Bela, no ano de 2011,) intitulado "À conversa com um pintor de barcos Moliceiros - José Manuel", que trouxe à memória do pintor boas recordações, e deu a conhecer aos presentes um pouco da sua vida.

Canal Publicidade

Após o cerimonial as intervenções foram-se sucedendo, desde a dos representantes rotários dos três municípios, à dos amigos e convidados que manifestaram cordialmente o seu apreço e admiração a este homem, e amigo - um artista da sua terra que cria sinergias à volta das temáticas regionais e une os seus conterrâneos, envolvendo-os nos seus trabalhos artísticos.

Nesta sessão de companheirismo, a noite foi decorrendo em ambiente festivo e amistoso. O presidente do RCM, Manuel Leite dirigiu-se ao homenageado, como “o nosso Zé”, “comparando-o, em sentido figurado, com a “Amália ou Eusébio da Murtosa”, que leva o nome do município por esse país fora, e para o estrangeiro. Os intervenientes foram enaltecendo e recordando os seus feitos e as suas obras, exaltando a dedicação, esforço, trabalho árduo e constante, ao longo dos anos, tecendo-lhe rasgados elogios: “onde ele põe a mão, ele sabe o que faz, é de dar continuidade ao seu trabalho”; “a sua obra já faz parte do legado da ria”; “a arte é feita com o coração, com sentimento”; “é um profissional de sucesso e tem confiança em si mesmo (…)”.

Já em fase de encerramento o pintor interveio de forma emotiva, agradecendo esta sessão de homenagem e a presença calorosa de todos.

O presidente do município, Joaquim Baptista, enalteceu o trabalho do artista referindo que este, ao concretizar o seu sonho, alimentou o sonho de gente jovem - fazendo referência à presença, na sala, de um grupo de “homens da ria”, intimamente ligados a ele e que “partilham uma paixão, que é um símbolo, um emblema que nunca terminará”.

Lembrou que as gentes da região, envolvidas na manutenção e preservação do barco moliceiro, “sonharam eles também em ter as suas embarcações”. E que apesar das vicissitudes, são “aqueles que, ainda, mais com o coração do que com a razão, tomam a decisão de ter um pedaço de si sobre a água da Ria de Aveiro”.

Salientou que se está a progredir, no sentido de manter e aumentar o número de embarcações genuínas, “sem amputações”, a navegarem e a poderem desfraldar as velas. E que, num primeiro passo, já se conseguiu inscrever o barco moliceiro e a arte da construção naval como património cultural imaterial da Unesco, tendo as declarações e o talento de José de Oliveira, constado no portefólio que foi entregue à Unesco, ajudando a justificar que “este é um barco com vida e com futuro”.

Diamantino Matos, rotário e amigo do artista, finalizou a sessão com um efusivo e criativo discurso, recitando um verso de António Gedeão - “Que sempre que um Homem sonha, o Mundo pula e avança, como bola colorida entre as mãos de uma criança”-, como analogia à obra e ao homem, José de Oliveira.

Tratou-se de uma meritória homenagem, realizada pelo Rotary Club da Murtosa, a um prestigiado artista da terra, “que com ética e dedicação leva o reconhecimento da sua profissão perante a sociedade”, enquadrando-se no objetivo rotário.


José de Oliveira mantém-se em contínuo labor criativo, divulgando, desta forma, a cultura e tradições da região marinhoa.

 

 

  • Texto a ser publicado também no jornal O Concelho de Estarreja

 

 

 

Deixa um comentário

O teu endereço de e-mail não será publicado. Todos os campos são de preenchimento obrigatório.