AveiroMag AveiroMag

Magazine online generalista e de âmbito regional. A Aveiro Mag aposta em conteúdos relacionados com factos e figuras de Aveiro. Feita por, e para, aveirenses, esta é uma revista que está sempre atenta ao pulsar da região!

Aveiro Mag®

Faça parte deste projeto e anuncie aqui!

Pretendemos associar-nos a marcas que se revejam na nossa ambição e pretendam ser melhores, assim como nós. Anuncie connosco.

Como anunciar

Aveiro Mag®

Avenida Dr. Lourenço Peixinho, n.º 49, 1.º Direito, Fracção J.

3800-164 Aveiro

geral@aveiromag.pt
Aveiromag

“Os cães voltaram a ladrar”: documentário de jovem aveirense retrata a guerra da Ucrânia

Sociedade

24 de fevereiro de 2022. O mundo abanou com a invasão da Ucrânia e o início de uma guerra que, passados dois anos, continua a não ter fim. As imagens da destruição, soldados de armas em punho e gente a clamar por socorro começaram a fazer parte dos nossos dias, a partir daquilo que nos é dado a conhecer através das televisões e dos jornais. O aveirense João Miranda, de 24 anos, ousou ir ao terreno para ouvir falar da guerra na primeira pessoa, numa viagem que deu lugar a um documentário que partilha agora com o público da região, através da Aveiro Mag.

“Os cães voltaram a ladrar” é o título da reportagem assinada pelo jovem licenciado em Novas Tecnologias da Comunicação pela Universidade de Aveiro e mestrando em Jornalismo e Comunicação na Universidade de Coimbra. Foi, precisamente, no âmbito deste mestrado que João Miranda decidiu avançar com este trabalho de investigação sobre a guerra.

Em abril do ano passado, João, na altura com 23 anos, acompanhou o pai, o fotojornalista aveirense Adriano Miranda, naquela que foi a sua segunda reportagem na guerra da Ucrânia. Viajaram de autocarro, durante três dias e na companhia de um grupo de refugiadas da guerra.

Neste documentário de 23 minutos, o jovem aveirense apresenta-nos o relato de algumas pessoas que têm vivido e sentido os horrores do conflito armado. Entre elas está Yuri, com quem João Miranda partilha a juventude. “Marcou-me ver o que estão a passar rapazes da minha idade. O Yuri tinha 22 anos e era snipper. Estava ferido, mas também tinha as mãos manchadas de sangue”, testemunha João Miranda.

Campus Jazz Publicidade

O jovem aveirense espera poder vir a exibir “Os cães voltaram a ladrar” numa sala de espetáculos, estando já a submeter o documentário a concursos. E também tem esperança de poder vir a fazer do jornalismo profissão, com muitas e novas aventuras no mundo da reportagem.

 

 

Deixa um comentário

O teu endereço de e-mail não será publicado. Todos os campos são de preenchimento obrigatório.