AveiroMag AveiroMag

Magazine online generalista e de âmbito regional. A Aveiro Mag aposta em conteúdos relacionados com factos e figuras de Aveiro. Feita por, e para, aveirenses, esta é uma revista que está sempre atenta ao pulsar da região!

Aveiro Mag®

Faça parte deste projeto e anuncie aqui!

Pretendemos associar-nos a marcas que se revejam na nossa ambição e pretendam ser melhores, assim como nós. Anuncie connosco.

Como anunciar

Aveiro Mag®

Avenida Dr. Lourenço Peixinho, n.º 49, 1.º Direito, Fracção J.

3800-164 Aveiro

geral@aveiromag.pt
Aveiromag

Sugestões de leitura: Irredutíveis como nós

Literatura

O pai do Astérix morreu no dia 24 de março de 2020, quase a fazer 93 anos. Segundo a família, Albert Urdezo morreu de ataque cardíaco, como o seu colega e amigo René Goscinny, que morreu da mesma causa, mas em 1977, com 51 anos. Os dois criaram os “irredutíveis gauleses”, Goscinny nos argumentos e nas ideias e Urdezo nos desenhos.

A série “Astérix, o gaulês” continua a ser publicada e vai agora no 38.º álbum – saiu há poucos meses “A filha de Vercingétorix”. Felizmente, a morte do segundo autor não significou o fim de Astérix, Obélix, Panomarix (o druida da poção mágica) e companhia. Há 15 anos, em entrevista ao jornal Público, Urdezo disse que quando morresse, também Astérix morreria, uma vez que não tinha intenção de vender os direitos da série. Mas voltou atrás, vendeu-os e entretanto saíram mais quatro álbuns em que os nomes Goscinny e Urdezo já não aparecem como autores de “texto” e “desenhos” (depois de Goscinny morrer, Urdezo fez questão que o nome do colega continuasse na capa dos livros como autor do texto), mas somente como criadores.

Esta banda desenhada passada no ano 50 a.C. tem um fundo histórico, porque de facto os gauleses deram resistência aos romanos, ainda que não tanto como a que Viriato dera umas décadas antes. Só que o chefe dos lusitanos não teve a sorte de encontrar desenhadores e argumentistas de talento.

Os livros do Astérix leem-se hoje como há 20 ou 30 anos porque, nas suas variantes, seguem um tema universal: a força superior dos pequenos contra a aparente invencibilidade dos poderosos. Os poderosos, no ano 50 a.C., eram os romanos. Hoje, serão “os americanos”, a globalização, as super-empresas… ou um vírus?

Não podemos estar a olhar tudo na perspetiva do vírus e da pandemia, mas há algumas qualidades na série que dão jeito no período que estamos a viver: o sentimento de união face a um inimigo comum, a identidade de grupo, a solidariedade, o auxílio mútuo. No final da crise pandémica, talvez nos espere uma jantarada, como no final de cada aventura gaulesa. Para já, é melhor manter a distância social. Que Astérix nos ajude a passar o tempo.

* Na Ror de Livros, os livros da série “Astérix” estão disponíveis por 5 euros cada. A livraria de livros usados fica na Rua Senhor dos Aflitos, n.º 9, em Aveiro. Atende pelo facebook.com/rordelivros, por mail (rordelivros@gmail.com) ou pelo telefone 96 843 72 37. Durante o estado de emergência, com as devidas regras de segurança, a Ror de Livros está aberta aos sábados, das 14h às 19h.
Festa Publicidade

Apelo a contribuição dos leitores

O artigo que está a ler resulta de um trabalho desenvolvido pela redação da Aveiro Mag. Se puder, contribua para esta aposta no jornalismo regional (a Aveiro Mag mantém os seus conteúdos abertos a todos os leitores). A partir de 1 euro pode fazer toda a diferença.

IBAN: PT50 0033 0000 4555 2395 4290 5

MB Way: 913 851 503

Deixa um comentário

O teu endereço de e-mail não será publicado. Todos os campos são de preenchimento obrigatório.